Centro Historico da Ribeira Brava

A posição geográfica em relação ao continente africano conferiu a Cabo Verde o caráter da área estratégica, na relação Europa-África e no comércio transatlântica, com variantes ao longo do tempo. A própria ilha de São Nicolau foi um dos pontos de passagem da navegação transatlântica, aquando duma das viagens de Pedro Álvares Cabral, a caminho do Brasil em 1500.

Nesta ilha, mais concretamente no seu interior, emergiu o aglomerado urbano da Ribeira Brava, mais ou menos no centro do vale do mesmo nome. A povoação da Ribeira Brava, de inícios do séc. XIX, na altura da sua elevação ao estatuto de vila, já tinha uma população de 260 moradores. A expetativa do crescimento urbano veio a ser concretizada, a ponto de atrair a sede do bispado para a mesma, em 1786. A presença da sede estimulou, ainda mais, o desenvolvimento da urbe.

O Centro Histórico da Ribeira Brava, património nacional é o coração da “Vila”. Como património imóvel, liga-se intrinsecamente à cultura dos seus habitantes, à sua história e, como tal, é apresentado como um espaço geográfico que apresenta os seguintes limites, reconhecidos oficialmente: uma linha traçada, em mapa, no sentido Sul/Norte, abarca toda a área da Ladeira de Igreja e se alonga da “Pandulha” à “Passagem”; um outro limite é aquela que se estende ao longo da pequena ribeira que passa pela zona da Pandulha, deslizando-se até o leito do vale da Ribeira Brava; um terceiro marco parte do antigo Seminário/Liceu, situado próximo da “Passagem”, a Nordeste, corta, a meio a zona de “S. João, alonga-se, em linha reta, até ao largo de Nossa Senhora da Graça, incluindo-a.

Os fundamentos para a entrada da Vila da Ribeira Brava no panteão e na galeria da história dos monumentos nacionais de Cabo Verde constam da Resolução nº 54/2010 de 18 de outubro. O estatuto de cidade para a Vila da Ribeira Brava fez parte da iniciativa governamental de atribuição dessa categoria a um conjunto de sedes de concelho em abril de 2012, através da resolução nº 24/2012, de 25 de Abril, com o fundamento de já possuírem equipamentos relevantes tais como: serviço, proteção civil, correios e telecomunicações, farmácia, corporação de bombeiros, bibliotecas, serviços de transporte urbano e suburbanos.

As características dos diferentes núcleos humanos em condições de receberem o estatuto de cidade já estavam, dois anos antes, definidas pela lei nº.77/VII/2010. Na sequência da elevação da Ribeira Brava ao estatuto de cidade os responsáveis municipais submeteram ao Governo uma proposta, no sentido da povoação manter, como marca histórica, o nome de Vila e, como tal chamar-se Cidade Vila da Ribeira Brava.

Galeria Centro Histórico da Ribeira Brava

Centro Histórico

Mapa Ribeira Brava